Página inicialwww.oproblemista.com.br Você está aqui Artigo
(p)1999-2008 por Leo Mano. Rio de Janeiro - RJ, Brasil
problemasdexadrez@terra.com.br

Belén: Tema, Task ou Efeito Ornamental?!

Zalmen KORNIN
Natural de Curitiba, joga xadrez desde os 9 anos tendo participado em várias competições, inclusive Campeonatos Brasileiros (juvenil e absoluto). Atuou também como árbitro e instrutor.

Compõe problemas desde 1977 e já teve seus trabalhos publicados em revistas européias (Europe Echecs e Tidskrift för Schack), brasileiras e, mais recentemente, internet. Nestes quase 30 anos de atividade, produziu ajudados, inversos, retrógrados, finais artísticos e, mais especialmente, mates diretos.

Apesar do nome de origem russa, Zalmen Kornin (na foto) destaca os símbolos sulistas: a araucária (ao fundo) e o chimarrão.


Limitado como tema, e fácil demais para um task, o ‘Mate de Belén’ (0-0-0 branco após Rc1-c2-d3) foi objeto de - até certo ponto - acaloradas discussões on-line em meados de 2004, envolvendo ‘connaisseurs’ de quase todos os continentes em três sites diferentes (dos quais um, o “Chess Problem Discussion Board”, se encontra fora do ar . Foi lá que Frank Richter, da Alemanha, propôs a definição “ornamental effect”, que me parece bastante apropriada).

Quando tomei conhecimento da história, visitante habitual que sou do excelente site do Tim Krabbé, ela já estava no ar havia mais de uma semana: para mim, não foi a questão do ineditismo ou não da idéia o que me aguçou o apetite, mas o ensejo para o que chamarei de primeiro Comprimir:

Diagrama 1

Zalmen Kornin
The Kibitzer’s Café, 29/jul/2004
#3

e depois Expandir:

Diagrama 2

Zalmen Kornin
The Kibitzer’s Café, 5/ago/2004
#4

O primeiro ostenta, além das quatro unidades obrigatórias na primeira horizontal, apenas mais uma peça menor e um peão brancos, o que já é, por si só, um task construtivo considerável... este também é bastante distinto de outros Beléns: a liberdade de movimentos das negras, não afetada imediatamente pela chave, é algo inaudito em posição tão despojada (porém a coroação à Dama ainda não é uma chave boa...)

O #4 (diagrama 2) é, de fato, uma geminação do anterior, para completar o Tema Valladão (conhecido também como Valladao-Task assim, sem til...): com um lance a mais, e alguns Peões, se introduz a variante ‘en passant’ e assim nasceu Belén Valladão (Monteiro!?), fruto da união de dois tasks que parecem ter nascido um para o outro... ( cada um dos lances especiais demonstra um efeito anti-dual distinto: a coroação deve ser a Dama, e não a outra peça, o Roque é necessário para cobrir ‘c2’, e, quanto ao ‘en passant’: neste caso não se evidenciou a inadiabilidade do lance como fator determinante, mas surgiu um outro efeito desejável: cxd6 e.p. não é viável, pois libera o Peão ‘c6’, evitando-se assim o Zugzwang do terceiro lance. Notar ainda que as Negras podem jogar d7-d5 no primeiro ou no segundo lance, mas isto também não altera a solução).

Havia ainda, outra questão interessante: Miniaturizar a idéia. Pode parecer uma mera picuinha formal, mas reduzir um tema a sete peças ou menos é um exercício que acaba por revelar se um tema (task ou efeito) é de fato difícil ou não: os que são, e muito, não se deixarão miniaturizar, ou então cobrarão alguma desvantagem ou defeitos como chaves inferiores (com xeque, tomada de peça ou de casa de fuga, etc).

Um caso à parte é:

Diagrama 3

"The Minimal Belén"

Zalmen Kornin
Inédito, ago/2006
#2

Embora reconhecido pelos especialistas como válido para cortar ½ lance, “mais simples caso de análise retrógrada” (W. Speckmann), o Rei negro em xeque na posição inicial, neste caso, é somente licença para incluir um Belén no acervo de Mates em Dois em Miniatura: com cinco peças ao todo, nem na forma de Mate Ajudado se faria melhor (=menor)!

E enfim, quando as discussões se extinguiram como fogo de palha, ainda havia a questão da Miniatura Perfeita isto é, com uma chave (pelo menos) razoável. Ela só veio a público quando, finalmente, acessei a página do hoje extinto fórum CPDB, para um post-scriptum e rescaldo final, quando inseri alguns pequenos inéditos que haviam ficado guardados no meu caderno de rascunhos:

Diagrama 4

"The Mini-Belén"

Zalmen Kornin (versão)
Chess Problem Discussion Board, 29/set/2005
#3

Os méritos desta versão do #3 de T. Beuman, “Open Chess Diary” 4/ago/2004, que chegou à mesma posição, mas com a Torre em ‘a4’ são: chave tipo ‘give-and-take’ e, é claro, a sugestiva situação do Rei negro ­ que parece estar já decisivamente confinado à primeira fila (sendo que o solucionista deve primeiro constatar que a manutenção deste confinamento leva ao afogamento) ­ e, após esta conclusão, decidir conscientemente para qual fila a Torre atacada deve se encaminhar... Enfim, o efeito (ao menos assim me parece) é bem melhor do que simplesmente trazer uma peça - que ademais se encontra fora de jogo - para tirar, do Rei negro, uma fuga de duas (que estão à sua disposição na posição inicial). [ZK, 1° de agosto de 2006]


Solução dos diagramas:
1) 1.g8=D! (a Dxa2+) Rc2 2.Cxc3 Rd3 3.O-O-O#
2) 1.g8=D! (a Dxa2+) Rc2 2.Cxc3 (a Dxa2+) d5 3.exd6 Rd3 4.O-O-O#
3) 1.Rc2 De5! 2.Rd3 O-O-O#
4) 1.Tb4! Rc2 2.Cbc3 3.Rd3 O-O-O#

Outros exemplos e comentários sobre o Tema Belén podem ser vistos em Problogmas de Xadrez.

(p)2008 por Leo Mano. Rio de Janeiro - RJ, Brasil.